segunda-feira, 30 de março de 2009

outras palavras / Sampagráficas

Outras palavras traz a poesia de Michelle Nicié e, com ela, seus espaços, descompassos, suas cartilagens sutis/apaixonadas/errantes pela paulicéia desvairada.

Carlos Eduardo 

SAMPAGRÁFICAS

Para S

“There are so many special people in the world”

 

Há lugares em mim

Pés e ruas

Camas e encontros

Hotéis e abraços

 

DESCOMPASSO

 

Museus e olhos

Barulhos e cansaços

Mais abraços

 

ESPAÇOS

 

Teus olhos em mim

Meus olhos para fora

Lá me encontro comigo/contigo

 

PASSANTE ANDARILHA ERRANTE

 

Me perco e me acho

A cada esquina

Da Avenida Paulista

 

EXPERIÊNCIA MÍSTICA

 

Apenas caminho sem vacilar

Sem tropeçar no instante.

 

Michelle Nicié

 

 

 

 

2 comentários:

Michelle Nicié disse...

Querida Cláudia,

ADOREI o seu comentário.
Baudelaire é mesmo apaixonante... Essa vai para você:
"Quero, para compor os meus castos monólogos, Deitar-me ao pé do céu, assim como os astrológos,
E, junto aos campanários, escutar sonhando
Solenes cânticos que o vento vai levando.
As mãos sob o queixo, só, na água-furtada,
Verei a fábrica em azáfama engolfada;
Torres e chaminés, os mastros da cidade,
E o vasto céu que faz sonhar a eternidade".
Charles Baudelaire, "Paisagem", In As Flores do Mal/ Les Fleurs du Mal.
Beijos baudelairianos...
M.

Carlos Eduardo Leal disse...

AO LEITOR
"Se o veneno, a paixão, o estupro, a punhalada
Não bordaram ainda com desenhos finos
A trama vã de nossos míseros destinos,
É que nossa alma arriscou pouco ou quase nada."
C. Baudelaire - Les fleurs du mal.