quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

100


Este pode ser um número qualquer, mas os números servem para, entre outras coisas, contar. Então, festejo o que eu mesmo não sabia quando comecei este blog se passaria de um ou dois post. Pois é, com "A ponte", foram 100. Número expressivo para mim que sempre tive por "ideologia editorial", se é que posso dizer isso de um blog, nunca postar textos já conhecidos. Acharia uma perda de tempo postar textos que todo mundo pode encontrar nos livros ou aqui mesmo nesta blogosfera. Mesmo que estes textos falassem por si próprios e que talvez fossem até mesmo maiores que seus autores. Sempre priorizei os inéditos. Quem é que se cansa de ler Drummond, Shakespeare, Pessoa, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, ah, sempre ela, e tantos outros? Mas, por que ler a parte se podemos ler o todo? Ler os clássicos é uma obrigação de todos. Mas estas intermináveis citações sempre me cheiram mais a pout pourri, ou seja, aqueles cds que me enchem de nada. Prefiro um texto com início, meio e fim. A honestidade para com a palavra (escrita ou falada) sempre foi-me cara. Trata-se de ética, principalmente quando se trata de ficção. Ficção não é mentira, muito menos a metáfora. Criar, inventar, recriar e nunca imitar, plagiar deveria ser uma condição para o mundo expandir-se, mas o que mais constato é a banalidade do "copia e cola".
Aqui, durante este tempo, (0 Veredas tem menos de um ano. Nunca parei para contar nem tempo nem quantidade de textos, mas aconteceu a coincidência) também teve espaço para "outras palavras", uma rubrica destinada a todos aqueles que quiseram escrever suas prosas e seus versos.
Por que escrevo uma não-ficção neste espaço? Para lhes dizer que no momento estou envolvido em outro projeto literário que espero dar conhecimento em breve para todos vocês.
Fiquem por aí. De vez em quando passem por aqui. Talvez eu já tenha terminado.
Agradeço a todos que aqui deixaram seus comentários, pois também me serviram de inspiração. Pode não parecer, mas a inspiração pode vir de uma única frase escrita por vocês. Uma pequena palavra ou letra que tenha ficado esquecida, adormecida numa tela de Van Gogh. Digo que estas são as melhores para escrever. Estas formam as melhores palavras, frases, ideias, histórias e, através delas, surge a possibilidade de alcançar a luxuosa leitura de vocês.
Um grande abraço e até breve,
Carlos Eduardo Leal

10 comentários:

virginia disse...

INSUPERÁVEL!
PARABÉNS!!
BJUS,
VI

Flor de Bela Alma disse...

Eu estive em Niteroi.Fui ao Mac e lembrei de minha descoberta .Pena que descobri e vc vira estrangeiro dessas veredas.Se eu tivesse seu telefone naquela tarde em Niteroi,juro que ligaria para irmos juntos ao museu.Quem sabe na próxima.Um abraço e olha no meu blog meu sonho com Camus:www.flordebelalma.blogspot.com
Beijo.

Michelle Nicié disse...

que venham outros 100, 1000, 10000 textos!!!
beijo e carinho da Michelle

Sônia Silvino disse...

É verdade! A inspiração aparece e temos que aproveitá-la. É muito interessante: aparece quando menos se espera.
Bjkas, meu amigo! Apareça!!!

Anne M. Moor disse...

Não some não... :-( Agora fiquei viciada em teu escrivinhar! Volta logo...

Grande beijo
Anne

Ana Carolina Nunes disse...

Pai, tenho certeza que o resultado deste seu novo projeto literário irá compensar o "tempo ausente" daqui. E o "100" é apenas o começo do Veredas, vc verá.
Beijos e mais beijos!!!

Renata Vilanova disse...

Foi uma honra ter estado por aqui. Agradeço suas palavras tão descortinadoras, muitas vezes nas entrelinhas e imagéticas por demais!
Elas me inspiraram.

Até breve,
Renata

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Carlos,

Parabéns pelos 100 posts...! Blog é isso mesmo, interações... Eu mesma não possuia idéia do quanto era compensador ser bloguista até o momento em que, simplesmente, me deu vontade de ser. Ficamos íntimos dos amigos como se há anos os conhecessemos. Chega a ser confortante, nos causa um bem estar muito gratificante.

No mais, fica, então, faltando o seu projeto literário... Boa sorte.

Beijos,
Ana Lúcia.

Flor de Bela Alma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Minha Humana Condição! disse...

Olá Carlos,muito bom conhecer suas idéias,temos algo em comum,"O inédito",continue sempre assim,q estarei atenta em seu projeto...e que venha muitos outros!
Forte abraço!