sábado, 21 de janeiro de 2012

A palavra


Não tinha mais do que 10 anos quando ganhei um cavalo no sitio do meu avô. Era marrom e branco, sela novinha. Meus olhos custaram a acreditar quando meu avô me pegou pela mão e falou: "Venha cá, meu neto. Tenho uma surpresa para você." Era numa manhã em minha vida. Não cabia de tanta emoção. Excitação maior de menino criado em sitio é ganhar um cavalo. 
Até então, caçar passarinho com visgo, mergulhar no açude, subir nas árvores para pegar fruta fresquinha e ver lagarta comer couve na horta eram diversões absolutas. Mas, naquela manhã, tudo mudou. As nuvens cederam espaço para o azul, os horizontes declinaram do sem fim, as montanhas tornaram-se planícies e o mundo estava em minhas mãos. 
Com ajuda do vô subi radiante no cavalo. Já tinha cavalgado umas tantas emoções quando o inesperado aconteceu.  Uma cobra fez o cavalo empinar e caí. O cavalo fugiu em disparada, a dor na mão era lancinante, o choro desassossegado. Estava tão desolado em mim quando outra emoção ainda mais forte do que ter ganhado um cavalo surgiu inesperada. Como se fosse possível. Era possível? Aquele dia não teria mais fim? Não na minha memória. Todas estas dores foram amparados pela filha do caseiro, uns três anos mais velha do que eu. Nunca havia prestado atenção nos olhos esverdeados dela que quase sumiam por detrás da mecha de cabelo castanho que deitava sobre sua face. De vestido branco, quase puído, estampado de flores amarelas e azuis, inclinou-se sobre mim encobrindo o sol. Sua sombra de contra luz fez com que eu pudesse  de um único lance, ver a silhueta de seu corpo e me enxergar através dos seus olhos. Estendeu-me a mão e disse com uma suavidade na voz que eu nunca tinha escutado: "Vem, não tenha medo. Vou cuidar de você." 
Foi a primeira vez em que a palavra tornou-se feminina para mim. 

4 comentários:

ANA MARIA disse...

Cuidado! Palavra que exala o feminino...Quando um homem cuida tem uma memória feminina ali.
Cuidado é colo, aconchego, é o outro entendendo nossas fragilidades... Mão que ampara e para a dor.
A imaginação do leitor é alimentada pelos detalhes e fazes isto com maestria...Mais um pouco e estamos na cena seguinte. Gostei muito!

monica disse...

Uma emoção inesperada é possível? Sim, é possível!
"Vem, não tenha medo. vou cuidar de você."

Memórias e afetos. Bonito, bonito e bonito *,

sonia disse...

Uma experiência como essa pode ser o prenúncio de um futuro homem bem resolvido, ao menos com as mulheres! :)

Silvia King Jeck disse...

Memórias, afetos, emoções... tudo isso jorra de mais um texto esplêndido. A última frase é tão pura e cheia de sentido!