sexta-feira, 16 de março de 2012

O rio dentro do menino

 
Chong Fah Cheong - River Children 

Quando era menino, gostava de empurrar meus amigos para dentro do rio. O que eu não sabia é que eu mesmo era o rio. E, assim, devagar e aos poucos, me povoava de amigos inseparáveis que desciam em meus afluentes vida afora. Compartilhavam comigo as horas felizes no sitio de meu avô. Vez por outra um saía às margens e roubava uma tangerina e voltávamos a descer. Olhar o céu de barriga para cima, correnteza abaixo, era uma de nossas maiores travessuras. Não sabíamos o que nos esperava tororoma abaixo, mas mesmo assim, sabíamos um pouco melhor sobre o céu que nos acolhia.


Quando eu era menino tinha saudades do futuro. Agora que cresci, olho minhas imagens e não me reconheço mais entre aqueles. Eu era todos e também nenhum.

2 comentários:

Maria Regina de Souza Cândido disse...

É bem assim... Vamos nos povoando, pessoas entram e saem do nosso rio, mas como falava Elis: "São as aguás de março fechando o verão, é a promessa de vida no meu coração"
Um abraço

Lucia São Thiago disse...

Já olhou para um rio, sabendo ser ele?