terça-feira, 24 de abril de 2012

O espelho seduzido

pin-up


O espelho seduzido - Parte I

A sedutora possui todas as armas para seu ofício, mas não usa todas...de um vez. 
A sedutora não economiza olhares. Mas não os usa em vão.
O espelho da sedutora reflete um pequeno véu de renda preta que encobre sua alma não-toda.
Não amou só aos homens. Amava as meninas em formação. Sobre elas nutria o prazer de mostrar-lhes o mundo através das lentes das suas sutilezas.
Quando ela pinta os cabelos é para disfarçar de si mesma a noite anterior.
Quando menina, pediu a sua mãe para cortar os cabelos bem curtinhos. Assim, podia conversar sem ser notada, olhando dentro dos olhos dos meninos. E, de lá, extraía-lhes a confissão desejada para o seu aprendizado.
Casou-se algumas vezes. Nunca quis filhos. Queria os homens.
A sedutora não faz exigências aos homens, porém estes a obedecem em tudo.
A sedutora não tira as roupas. Apenas finge que as tem.
A sedutora não chora por qualquer coisa, mas chora quando ela quer que o(a) outro(a) perceba.
Não lhe falta o arroubo nem a impetuosidade para a conquista. Ela é capaz de ser uma criança emocionalmente frágil e dependente para conquistar seu homem, mas uma "expertise" se tiver que ser fria para desprezar o que não quer mais. 
Nada engana mais do que uma sedutora que finge deixar-se seduzir. Ela apenas prepara a segunda jogada.
A roupa não é necessariamente a sua arma, mas sim a maneira como a retira.
Instruir-se em sua arte é algo que a sedutora nunca deixa de fazer: sua curiosidade por saber sempre mais a conduz através dos livros, cinema e arte cênica.
Parágrafo único: ela é insaciável.
Gosta de ser deliberadamente despudorada. Principalmente quando seu amante mostra-se tímido. Porém, tudo que ela faz com ele é como se ingênua fosse e nunca houvesse feito a corte mais que a um cãozinho. 
De sua sedução só o tempo a corrompe. 
Quando vê uma rival não mede esforços para eliminá-la. E, para isto, usará de todos os meios: da vingança à ardilosa humilhação pública. 
Aliás, fica-se em dúvida se ela fareja com maior ardor sua rival ou sua vítima. 
Dificilmente engana-se, mas alvo fácil não significa presa fácil. Porém o prazer da conquista está na demonstração da sua força para realizá-la.
Por vezes gosta de ser "obediente" e a tudo satisfazer seu "amo" só para depois exigir submissão.
Gosta do jogo dos opostos, das cores, do chiaro-scuro magistralmente pintado por Rembrandt. Gosta de ser escrava para depois escravizar. Gosta de ser masoquista para depois tornar-se a mais bela sádica. Gosta de desejar um mestre para depois governá-lo.
A sedutora sabe o que deseja, mas não o que lhe falta.  

3 comentários:

Roberta Duarte disse...

Lindo!!!

Leitores do Mira disse...

Gostei mucho, mas...

Podemos colocar no masculino? Esse espelho reflete o outro gênero?

Carlos Eduardo Leal disse...

Este espelho reflete tudo...até o que não existe. Mas este demora mais tempo. :)